Oposição à Bancada Ruralista

Recentemente acompanhamos como a Bancada Ruralista tem se articulado em todos os âmbitos para aprovar leis que representam um verdadeiro retrocesso para a causa animal, para o meio ambiente e para a sociedade.

 

Contrariando entidades nacionais, internacionais e especialistas, a Bancada Ruralista atua para defender seus próprios interesses em detrimento da saúde da população, da preservação do meio ambiente e da causa animal.

 

O PL do Veneno para colocar mais agrotóxicos na mesa dos brasileiros, a aprovação do transporte de cargas vivas, da vaquejada, a liberaração da caça de animais silvestres e a manutenção de crimes ambientais como a pecuária, o desmatamento e até a perseguição e ameaça a ativistas, são alguns dos fatos recentes associados a este grupo de poder.

 

Mais do que protestar como cidadãs, vamos nos opor criando leis e usando todas as ferramentas garantidas pela democracia para conseguir implementar mudanças e políticas públicas efetivas, com o objetivo de proteger os animais, a saúde das pessoas e os nossos recursos naturais.

"O agronegócio pode querer ser pop, mas 70% da comida que enche a barriga dos brasileiros é produzida em pequenas propriedades por gente como a Ana. O MST, principal movimento brasileiro na luta pela reforma agrária, é, também, o maior produtor de arroz orgânico da América Latina. Apesar disso, o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) paralisou os projetos de reforma agrária desde 2019.

A luta socioambiental é uma luta das pessoas mais pobres. Quando a calamidade ambiental ou sanitária acontece, quem sofre mais são as pessoas negras e periféricas. Não são vítimas apenas da fome, mas também de inundações, poluição, intoxicações e doenças epidêmicas. Uma pesquisa britânica prova que limitar o aumento da temperatura média global a dois graus centígrados poderia evitar 3,3 milhões de casos de dengue por ano na América Latina e no Caribe. De acordo com o estudo, o Brasil seria o maior beneficiado. O país evitaria 500 mil casos de dengue por ano até 2050. Mas, se a emissão de gases se mantiver no ritmo atual, teremos 7,5 milhões de novos casos de dengue por ano no mundo. Este é apenas um exemplo do que as mudanças climáticas, em decorrência das atividades humanas como a agropecuária e o desmatamento causam na população dos países mais pobres".

infos - casaum.org

 

Nos comprometemos a INCENTIVAR A AGRICULTURA FAMILIAR E APOIO À INICIATIVAS COMO O MSTS - 

feiras, TPUs, e espaços dentro de eventos promovidos pela prefeitura para produtores de verduras, legumes e frutas e ainda implementação de iniciativas agroecológicas em regiões periféricas;

  • Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Instagram Preto
  • whats (11) 9.5408-0828

criado por pessoas que amam animais